​La Pompe é nome dado ao ritmo característico do gypsy jazz. Como um "sotaque" esse ritmo é executado com acentos e leves varições em diferentes países, em resumo concepção da "pompe" é substituir a bateria,  a primeira batida representa o bumbo e a segunda a caixa da bateria. 

La Pompe varia de acordo com o gosto do solista, alguns preferem o ritmo (bateria) reta, sem variações de tempo e dinâmicas, outros não dispensam interações rítmicas.

 

Existem 4 tipos de La Pompe que são referências: (a partir destes surgem as variações e sotaques)

1 - La Pompe 

2 - La Pompe Manouche

3 - La Pompe Lenta

4 - La Pompe Lenta com variação

 

 

La Pompe

É a batida mais tradicional e simples, os baixos são acentuados nos tempos 1 e 3 , alternando para as notas mais agudas do acordes tocadas nos tempos 2 e 4, sem esquecer de  “secar” a batida dos tempos 2 e 4 que representam a caixa da bateria. 

> Todos exemplos estão sobre os acordes Am6 – E7

( vide acorde mágico casas 5-7)

 

Tocar notas de aproximação sobre os arpejos/acordes é um recurso que está dentro da linguagem do gypsy jazz e dá um "tempero" bem especial a improvisação de linhas melódicas.

A ideia consiste em fazer a aproximação tocando a nota que está a meio-tom abaixo para cada nota da tríade do acorde, a nota de aproximação é uma nota de passagem, na maioria dos casos não é uma nota para repouso.

É necessário ter a consciência dos acordes e progressão harmônica para as notas de aproximação terem sentido e auxiliar a 'escutar' a estrutura harmônica enquanto improvisa sobre os acordes.

Exemplo 1 - Am - Dm - E

 

Free Joomla! template by L.THEME